especialidades

Clínica de Psicologia em Lisboa

MARCAR

A Psicologia Clínica e da Saúde são duas áreas disponíveis na nossa clínica de psicologia em Lisboa, a Clinica Dr. Alexandre Machado. Estas duas vertentes da psicologia unem-se numa intervenção holística que permite olhar e intervir sobre a saúde mental e física. A Psicologia Clínica dedica-se mais à intervenção sobre as psicopatologias, tais como por exemplo, depressão, ansiedade ou fobias e a Psicologia da Saúde tem um foco maior na promoção e prevenção da saúde mental, agindo mais sobre os comportamentos de risco, como por exemplo a suspensão tabágica, comportamentos alimentares saudáveis ou mudanças de comportamentos sexuais de risco.

Avaliação e intervenção psicoterapêutica (individual e de grupo)

A avaliação psicológica pode ter uma componente pessoal, judicial, profissional ou acadêmica. Dentro deste contexto o uso de uma abordagem bio-psico-fisiológica é uma marca que nos distingue pois permite um olhar mais cuidado, mais holístico e mais assertivo em relação ao individuo, obtendo assim dados mais consolidados. Já o processo de intervenção psicoterapêutico permite ir ao encontro do individuo com o objetivo de lhe proporcionar o suporte necessário para ultrapassar um momento, uma fase da vida ou uma queixa especifica, com o objetivo de promover uma melhor qualidade de vida.

Ansiedade

A ansiedade pode ser entendida como uma emoção de medo face ao futuro, podendo ser acompanhada por outras emoções de culpabilidade, amargura ou vergonha. Esta psicopatologia pode ser vivida de forma leve, onde o individuo sente insegurança frente a acontecimentos presente e futuros ou amargura e lamentação sobre acontecimentos do passado. Ou pode ter uma intensidade maior, em que o individuo sente o futuro cheio de obscuridade e de incertezas, colocando a sua existência em causa, podendo desenvolver a sensação que vai morrer.

Ataques de pânico

Os ataques de pânico são uma das manifestações mais intensas da ansiedade, são causados por uma exposição a uma elemento ou situação que o individuo sente medo, podendo também ser causado por um pensamento sobre um determinado acontecimento. De forma geral nos ataques de pânico o individuo manifesta sintomas físicos, tais como, dificuldade respiratória, suores frios ou palpitações, que podem ser mais ou menos intensos em função da sua sensação de controlo e conhecimento sobre si.

Fobias

A fobia é um medo excessivo de exposição a um objeto ou situação, que pode ser vivenciado com uma ansiedade antecipatória e está associado a manifestações físicas como suores, rigidez muscular ou taquicardia. As fobias mais comuns são as fobias a animais (cobras, aranhas ou cães), ao ambiente (alturas, tempestades ou ruídos altos) e do tipo situacional (lugares fechados, escuros ou espaços abertos). O medo e a ansiedade aparecem quase sempre que o individuo é exposto ao elemento fóbico.

Stress

A vida agitada, os compromissos do dia-a-dia, as obrigações sociais e profissionais ou até as tarefas familiares podem levar a que um individuo entre em exaustão, também conhecido como stress. A psicoterapia ajuda a promover estratégias de coping, a desenvolver técnicas de relaxamento ou a definir objetivos realistas para aligeirar a carga emocional negativa e assim promover uma melhor qualidade de vida.

Depressão

A depressão pode ser entendida como um estado de desânimo, desinteresse ou abatimento emocional que, de forma geral compromete a motivação para o individuo olhar para si, para a interação social, profissional ou até familiar. Muitas vezes o vivenciar um estado depressivo passa a ser um estado “normal”, onde nada importa a não ser sobreviver a mais um dia.

Doença bipolar

Na doença bipolar um individuo passa de um estado de euforia ou mania a um estado depressivo em uma questão de horas ou dias. É uma psicopatologia que pode ser incapacitante, nomeadamente se esta situação compromete o contato social e ou profissional. Os estados de euforia ou de desânimo podem ocorrer sem motivo aparente ou podem ser motivados por processos cognitivos desvirtuados da realidade.

Psicoses

Na psicose normalmente o individuo não mantem um contato com a realidade constante, refugiando-se nos seus pensamentos de, ruina ou perseguição que o fazem ter comportamentos desajustados, no sentido de precaver a sua integridade física. Dentro das psicoses mais comuns encontramos a psicose afetiva, esquizofrénica ou maníaco-depressiva.

Obsessões

As obsessões podem caracterizar-se por pensamentos repetidos e involuntários face a determinados assuntos, que provocam ansiedade e são vivenciados como intrusivos. De forma a minimizar estes pensamentos um individuo manifesta comportamentos compulsivos, que por vezes tem consciência deles, mesmo sabendo que são desajustados. As obsessões mais comuns são a preocupação com a sujidade, as secreções do corpo, a assimetria ou o medo que algo lhe possa acontecer. Já nas compulsões mais comuns enquadra-se o gesto de lavar constantemente as mãos, verificar portas ou a arrumação excessiva. De forma que se classifique como uma psicopatologia, a obsessão-compulsão, deve comprometer a vida social, acadêmica, familiar e profissional do individuo.

Perturbações do comportamento

Uma perturbação do comportamento pode trazer ao individuo sofrimento e angústia, no sentido de poder ser algo que não se enquadra nos valores e normas sociais. Este pode ocorrer de forma inconsciente ou em manifestações conscientes, tendo o individuo dificuldade de os eliminar. Desta forma a compreensão, a avaliação e o entendimento por parte do individuo, desse mesmo comportamento e em consonância com o terapeuta, podem promover uma ajuste.

Perturbações de identidade

Nem sempre a identidade de género está devidamente definida, podendo ser uma causa emocional, funcional ou biológica. Este tipo de perturbações estão associadas a grande sofrimento por quem a vivência, mas também a quem rodeia o individuo.

Sexologia

A sexualidade pode ser manifestada de forma saudável ou intrincada por comportamentos desviantes, tais como comportamentos auto lesivos ou parafilias, que podem ser manifestações conscientes ou inconscientes. Estes comportamentos desviantes podem causar dano ao próprio, mas também a quem interage com ele.

Dor

A dor crónica torna a vida do individuo incapacitante trazendo transtornos físicos e emocionais. A psicoterapia através de estratégias de coping e técnicas de relaxamento promove um maior bem-estar e um melhor entendimento sobre a dor.

Luto

O processo de luto pode entender-se quando se perde alguém ou existe uma desvinculação a uma pessoa querida. É uma fase da vida em que a motivação para cuidar de si e para a interação social pode estar comprometida. Nem sempre este processo é enquadrado num tempo e em uma intensidade adequada e assim os processos de luto, podem torna-se patológicos quando o individuo fica de tal forma preso, que não consegue avançar com outras motivações e interesses, que permitem olhar o futuro com ânimo.

Vícios e dependências

De forma geral o vício e a dependência provocam sofrimento ao individuo e a quem o rodeia, podendo ser a titulo de exemplo, o vício do jogo ou a dependência de bebidas alcoólicas. Estes processos começam por ser algo consciente, mas rapidamente podem caminhar para comportamentos inconscientes, quando estão ligados a perturbações emocionais, mas também podem ser desencadeados por comprometimentos cognitivos.

Distúrbios alimentares

Os distúrbios alimentares podem ser a manifestação de alterações de estados emocionais tais como, depressão ou ansiedade, onde o individuo tem um comportamento desajustado como forma de expressar um sentimento de angústia que não consegue conter ou transformar em palavras. Os distúrbios alimentares mais comuns são a anorexia, que se manifesta através da recusa de comer e a bulimia, que pode ser descrita como episódios de voracidade alimentar seguidos de purgas.

voltar ao topo

Marcar consultas de especialidade é muito fácil.

Preencha o nosso formulário e receberá a confirmação da consulta no seu telefone/email.